• Posted by : Lízi 16 de mai de 2015

    Oi galera, hoje eu veio trazendo um artigo mais sério e meio preocupante. Vocês sabiam que o mangá não seria tão popular sem o anime e que o anime também não seria tão possível sem o mangá? Pois é, então antes de sair minando um deles só porque tu não gosta, dá uma lida nesse artigo!

                    Todo bom otaku deve conhecer o Osamu Tezuka, se não conhece...confira o artigo sobre ele aqui no blog! Mas vou dar um resumo...o senhor Tezuka (o deus do anime e mangá, sim ele tem esse título mesmo), é o cara responsável pelo mangá e anime atual, mas porquê? Bem, tudo começou na sua infância quando ele era uma criança já muito criativa e super fã de Walt Disney e outras histórias ‘gringas’. O pai dele trabalhava legal e tinha uma boa grana e fazia questão de mostrar vários filmes animados para os seus filhos e também comprava mangás pra eles (não me recordo o nome exato, mas acho que não era mangá ainda o nome, mas vocês entenderam!), então tendo um pai muito incentivador de ver e ler muita coisa o Osamu cresceu muito criativo, desenhador e excelente contador de histórias! Depois de passar por muitas coisas legais e nem tão legais também, que vocês podem conferir na sua biografia em mangá (!!!) que eu vou deixar lá no fim do texto o nomezinho direitinho, ele se tornou um mangaká, ainda jovem mas é isso aí, muitos começam jovens nesse ramo mesmo! Ele revolucionou o mundo do mangá, criou as características fortes dos mangás, o traço característico do shoujo e shounen e fazia N histórias, principalmente para crianças e adolescentes, mas suas obras adultas são ó. De fazer babar!

    Osamu Tezuka e Mushi studio
                    Osamu foi o cara que fundou o Mushi Productions, estúdio de animação! O que ele fez primeiro que estourou no mundo e até teve um remake recentemente foi o nosso amado Astro Boy!! Pois é...do mangá ele criou a adaptação para um anime e isso foi um mega sucesso glo-bal! A partir daí muita gente se interessou nesse lance de fazer animações dos mangás ou originais mesmo e logo pessoas muito famosas como o hayao Miyazaki, o cara que fez a viagem de chihiro sabe? Que até ganhou o Oscar, pois é.

    Astro Boy
                    Não é um super texto em questão de comprimento ou complexidade, da pra todas as idades entenderem que o anime e o mangá andam juntos! Eu mesma não sou muito chegada no anime, mas agradeço por ter feito o mangá uma mega explosão de cultura que se espalhou mais rápido que vírus zumbi pelo mundo! (na verdade demorou até demais, mas deixa quieto :P). É claro que eu SEI e eu ENTENDO que temos animês MUITO mal adaptados, feitos porcamente mesmo, que não tem o minimo de noção e tudo mais que vocês possam imaginar, e mesmo assim...eles fazem sucesso! (olha o another aí...), então não da pra dizer que o anime é inútil, pois qual a sua finalidade atualmente? Fazer o título ser super popular, porque? Bem, nem todo mundo gosta de ler ou pode pagar pela leitura do mangá físico, já o animê a gente encontra facilmente na TV a cabo, na TV aberta, a venda em lojas a preços legais e tudo mais, por alguma razão super compreensível, PAPEL meus amores, é MUITO caro e o processo de criação também não é barato (isso que tem animês aí que custam demaaaaaaaais para serem produzidos, porque não é nada fácil animar viu?!).

    Sabendo de tudo isso e mais um pouco (porque ainda tem as novels, né?), porque continuar uma discussão sem fundamento nenhum sobre o que é superior? Tem coisa ruim dos dois lados, mas o principal é que um não é nada sem o outro! Sei muito bem que a literatura e o hábito de ler são considerados pela sociedade como algo intelectual, cult, etc e tal, mas gente...pra começar eu discordo dessa visão porque ta cheio de porcarias escritas por aí, assim como tem animês que são muito legais, poxa! Vamos parar com essa infantilidade, essa estupidez, essa grosseria sem tamanho sabe? Estão dando um gancho de direita nos caras responsáveis por vocês sentarem a bunda aí e assistir e ler muita coisa viu? Eu me preocupo com esses que se dizem otakus e são tão cheios de ódio. Não me leve a mal, não digo que não pode odiar, nem criticar e nem me alimento da ideia fantasiosa e sem fundamento de que não existem animes ou mangás ruins, porque existem independente de gosto, viu?

    Hayao Miyazaki
    Bem, eu não sou otaku nem otome nem nada disso, eu simplesmente gosto pra caramba de animês e mangás desde que eu tenho uns quatro anos e acho que ta faltando muita vontade de realmente se informar sobre essa parte da cultura nipônica, antes de se dizer fã ou entendido em qualquer coisa.

    Espero que tenham apreciado esse artigo, e espero que minha preocupação passe...porque nem idade nem nada justifica não ter interesse em ser informado, ok? Isso é perigoso!

    Sintam-se a vontade pra me perguntar o que ler pra entender melhor sobre essa parte da cultura japonesa e sintam orgulho sim de ser do país que mais tem fãs de animação e mangá depois de...toda a Ásia né :P
    Até a próxima, galera!

    Sobre a autora:

    Lízias Cunha, 24 anos, estudante de técnico em biblioteconomia que está atualmente arrancando os cabelos fazendo seu delicioso TCC sobre mangás!

    Esse artigo é de minha autoria assim como todo o material postado por mim no blog (exceto notícias) e é plágio copiar e colar isso em qualquer lugar e saiba que plágio é crime punível!

    Indicação de leitura:

    Ban, Toshio. Osamu Tezuka: uma biografia mangá. / Toshio Ban & Tezuka Productions; [tradução Adriana Sada]. São Paulo, Conrad, 2003.

    Gravetti, Paul. Mangá: como o japão reinventou os quadrinhos. São Paulo, Conrad, 2006.

    Luyten Bibe, Sonia. Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses. São Paulo, Hedra, 2000.

    LUYTEN, Sonia M. Bibe. "O sonho japonês" e a difusão do mangá. Revista USP, São Paulo, v. 44, n. 27, p.130-137, set. 1995.

    0 comentários

  • Copyright © 2013 - Nisekoi - All Right Reserved

    Uma futura bibliotecária apaixonada por mangás Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan